Carolina Dieckmann só fará novo trabalho na Globo em 2017

Carolina Dieckmann, que agora mora com a família nos Estados Unidos, foi liberada da Globo até janeiro. E como ela tem o desejo de ficar lá mais tempo, é bem provável que na sua volta ela faça trabalhos mais curtos. Tiago Worcman, executivo de televisão, hoje como vice-presidente sênior da Viacom na América Latina, tem a sua base de trabalho em Miami e toda a família está morando lá desde o começo do ano.

Carolina Dieckmann completa 38 anos e diz: ''Ainda não sinto a idade''

Carolina Dieckmann completa 38 anos nesta sexta-feira (16). Em ótima forma, ela diz estar preparada para a chegada dos 40 e afirma não se importar muito com a chegada da idade. “Não penso muito nisso, ainda não sinto a idade”, diz. Atualmente morando em Miami, a aniversariante do dia volta e meia vem ao Brasil para cumprir sua agenda profissional. Nesta semana mesmo, deu rasante no Rio de Janeiro e em São Paulo para lançar seu novo filme, O silêncio do céu. Entre uma sessão e outra do longa-metragem, ela bateu um papo com a coluna e fez um balanço de seus 38 anos. “Adoro a minha vida! Tenho saúde e sinto que amadurecer tem tantos lados positivos que acho bobagem se preocupar com qualquer outra coisa. Tento sempre ver o lado bom e, nesse caso, tem sido ótimo”, afirma a bela. Mas, embora seja festeira, a atriz não está nada animada para comemorar a nova primavera. Assim como todo o país, ela foi pega de surpresa e está triste com a morte de Domingos Montagner, com quem contracenou na novela Joia rara, em 2013. Em sua conta no Instagram, a atriz prestou uma homenagem ao amigo. “Só momentos lindos com você... Só coisas boas. Vou te levar para sempre, em alegria, sorrisos e muito amor. Bom voo, parceiro”, postou ela.

Carolina Dieckmann fala de vida nos EUA: 'Lá eu não sou observada'

Carolina Dieckmann está desde o fim de "A regra do jogo" - em março deste ano - vivendo a experiência de ser “anônima”. Ela se mudou com o marido, Tiago Worcman, para Miami, nos Estados Unidos. A atriz, que procura vir ao Brasil uma vez por mês para compromissos profissionais, conversou com o EGO - na pré-estreia do filme "O silêncio do céu", no qual faz parte do elenco - sobre a experiência de viver fora do país e revelou planos para voltar a uma novela no Brasil. "A vida nos Estados Unidos está ótima, uma experiência que está valendo muito a pena", falou Carol, que apontou como uma das vantagens justamente o fato de ser desconhecida para a maioria das pessoas no exterior: "Lá eu sou anônima, não sou observada. É diferente, eu fico livre. Não existe algo que eu faça lá e não fazia aqui, porque nunca me permiti deixar de fazer minhas coisas por ser famosa, nunca deixei a fama atrapalhar minha vida, mas é diferente não ser notada". Outro fator que Carol valoriza na experiência fora do Brasil é o bem estar do filho mais novo, José, que lá também pode ter uma vida sem ser filho de uma famosa. "É importante e diferente para o meu filho. Ele vai ter uma experiência que o Davi (filho de 17 anos da atriz com Marcos Frota) que todo mundo sabe quem é, não teve. Isso é importante na criação e no amadurecimento do José", disse a loira. Mas a vida no exterior não passa de 2017. Carol faz mistério sobre seus projetos profissionais, mas garante que volta às telinhas no próximo ano. "Devo voltar ao Brasil ano que vem, não sei exatamente em que mês. Mas eu tenho minhas coisas aqui, minha casa, meu filho mais velho, tenho que uma hora voltar, né?", falou a atriz, que apontou a saudade do filho Davi - que ficou morando no Brasil com o pai - como algo que a faz pensar em voltar logo: "Sofro de saudades". Atriz divulga filme no Brasil Carolina Dieckmann está cumprindo a agenda de divulgação do filme "O silêncio do céu" no Brasil. Ela já participou de pré-estreia em São Paulo e no Rio. Na Cidade Maravilhosa, a atriz ganhou a presença de seus amigos famosos no cinema. Preta Gil, Luciano Huck, Susana Vieira e Angélica assistiram ao filme ao lado da loira.















Carolina Dieckmann deixa barriguinha de fora em evento

Os anos não passam para Carolina Dieckmann. Nesta segunda-feira, 12, a atriz, de 37 anos, surgiu linda na coletiva de lançamento do filme "O Silêncio do Céu", no Shopping Frei Caneca, em São Paulo. De modelito todo branco, Carol deixou a barriga seca de fora e esbanjou boa forma. Recentemente, a atriz confessou que não está na sua melhor forma física. "Já fui muito mais trincada, não acho meu corpo o ideal, mas fico feliz com os elogios", disse ela. Apesar de não se achar com o corpo ideal, não há como negar que a atriz está muito bem, obrigada. Em uma sessão de fotos para a revista "Wow", a atriz posou de biquíni e exibiu a barriga "negativa" e ainda apareceu comendo um hambúrguer.





Carolina Dieckmann lança filme em Gramado e destaca desafio de atuar em espanhol

Carolina Dieckmann protagonizou cenas fortes e angustiantes de estupro no filme "O Silêncio do Céu". O longa, que tem direção de Marcos Dutra, foi exibido na competição do Festival de Cinema de Gramado na noite de domingo (28), onde a atriz brilhou com um look Helo Rocha no tapete vermelho. No longa, ela vive Diana, uma mulher casada que é estuprada dentro da própria casa por um estranho e decide guardar segredo. O marido, vivido pelo ator argentino Leonardo Sbaraglia, foi testemunha do crime, mas opta por não contar à mulher que viu tudo acontecer. O filme mostra a crise que se estabelece entre o casal por conta do segredo que eles guardam. Durante uma conversa com a imprensa, a mulher de Tiago Worcman, de quem recebe críticas por conta dos seus figurinos, disse que este foi seu trabalho mais desafiador, principalmente por ser todo falado em espanhol. "Não tinha um conhecimento profundo da língua, por isso concentrei minhas aulas em cima do roteiro, para que a atuação e a interpretação do texto não ficassem limitadas. A gente sente na língua-mãe, o desafio foi buscar sentido num idioma que eu conhecia pouco", explicou a loira, que está passando uma temporada em Miami, completando: "Queria agradecer a Paula Cohen, que me ajudou muito no espanhol. Ela fala espanhol brilhantemente e me ajudou muito nas filmagens". Além disso, a obra cinematográfica foi feita antes de o debate sobre a violência contra a mulher se intensificar. "Não foi algo proposital, mas ilustramos essa realidade de alguma forma, é um serviço além do filme. E é também uma felicidade quando a gente consegue, através da arte, levantar uma discussão e chegar nas pessoas", pontuou a artista, com vontade de raspar a cabeça para um novo trabalho.



Carolina Dieckmann é uma das boas surpresas no Festival de Gramado

A 44º Festival do Cinema de Gramado tem oferecido a cada dia uma boa surpresa para a plateia. Depois da homenagem a uma emocionada Sonia Braga, na sexta-feira (26/8), e de Andreia Horta convencer todo mundo em “Elis”, de Hugo Prata, no sábado (27/8), no domingo (28/9) foi a vez de Carolina Dieckmann mostrar a que veio em “O Silêncio do Céu”, de Marco Dutra.

 “O Silêncio do Céu” já começa difícil para a atriz, para qualquer atriz. A personagem está sendo estuprada na própria casa. Cena dura, brutal. Corte para a rua. Chega um homem, o marido (Leonardo Sbaraglia). Ele ouve o barulho dentro da casa, espia pela janela, vê o que ocorre e… Recua. Mas as coisas são um pouco mais complexas. Mário, é seu nome, sofre de fobias. Tem medo de tudo. Diana, a mulher, faz uma longa lista de todos os medos do marido. Na verdade, talvez exista um só medo, o da mulher.


 O filme — que estreia nos cinemas no próximo dia 22/9 — é o terceiro na carreira de Carolina Dieckman e, como os dois anteriores, “Onde Andará Dulce Veiga?” (2008), de Guilherme de Almeida Prado, e “Entre Nós” (2013), de Paulo e Pedro Morelli, colabora para revelar um talento que vai além do que o público está acostumado a ver da atriz em novelas. Violência de gênero “O Silêncio do Céu” não nasceu como um projeto autoral de Marco Dutra. Chegou até ele pelo produtor, Rodrigo Teixeira. Baseia-se num livro do autor argentino Sergio Bizzio, que ocorre ser marido da cineasta Lucía Puenzo. Bizzio e ela escreveram o roteiro que chegou às mãos do produtor. Por um tempo, o projeto emperrou. Foi adiante quando Teixeira chamou Dutra para dirigir e ele incorporou o roteirista Caetano Gotardo.

Na coletiva, Dutra admitiu que teve dúvida. Seria possível levar adiante essa ideia tão forte? Marido e mulher silenciam sobre o ocorrido. E foi nascendo um filme terrível sobre a violência de gênero. A 44ª edição do Festival do Cinema de Gramado segue até sábado (3/9). A mnostra competitiva de longas prossegue nesta terça-feira (30/8) com a exibição do boliviano “Carga Sellada”, de Julia Vargas.